Olá, meu amigo e minha amiga!

Nós possuímos uma fantástica máquina dentro das nossas cabeças. Em milésimos de segundo conseguimos “nos transportar” para qualquer lugar ou tempo que quisermos e (Re)viver uma verdadeira aventura. Ao menor dos comandos, nossa mente explode e podemos voltar ao passado ou sonhar com o futuro.

Que tipo de viajante é você? Aquele que vai buscar forças nas histórias para atuar no hoje ou és um sacoleiro de sofrências com cada vez mais peso que impedem o seu movimento? Outra reflexão, essas explosões são bem-vindas ou te fazem “viajar na maionese” no meio do dia, te impedindo de fazer o que deve ser feito? E mais importante até do que entender se você está “viajando” é saber os motivos do seu embarque.

Acumular milhas mentais enquanto está no trabalho poder ser um sinal de falta de conexão com aquela atividade ou até pior, com o trabalho ou a profissão. Nós brasileiros vemos menos significado nos nossos trabalhos que a média de outros 100 países pesquisados pela Consultoria McKinsey. Com tempo, isso pode gerar uma crise de identidade. Então reflita se o seu trabalho está alinhado com quem você é e o que você realmente quer, caso contrário o efeito na carreira pode ser devastador.

Uma das bandeiras do meu trabalho com desenvolvimento humano é orientar as pessoas quanto a importância do autoconhecimento, algo que eu acredito fortemente deveria ser ensinado ainda na vida acadêmica como uma prática indispensável para toda a jornada da vida. Passamos a vida criando e executando planos que muitas vezes não preenchem todas as lacunas e isso vem gerando adultos frustrados e incompletos quanto às realizações.

Tire um momento para você. Sem distrações. Reflita sobre a sua história, sobre tudo que é importante para você, sobre o que você quer deixar de resultado na sua passagem por aqui.

Racionalmente é possível que você pense, Ah! não vou perder tempo com isso! O lado esquerdo do seu cérebro é racional e não reconhece o que não dá pra medir, calcular, classificar. O seu lado direito, que guarda todas as suas grandes potencialidades, no entanto, é emocional e está gritando pela oportunidade de se expressar, mas o seu foco fica racionalmente na rotina, estresse, problemas.

É claro que não há uma receita de sucesso que atenderá a todos, até mesmo porque cada pessoa tem uma ideia diferente do que é sucesso, mas eu garanto que para você se conduzir ao seu objetivo você deve criá-lo através do lado emocional, aquele que vai preencher as lacunas mais importantes da sua vida. Depois deixe que o lado racional faça a sua parte com todo o planejamento, medições, gráficos, tabelas ou qualquer outro recurso que garanta o passo a passo da sua conquista.

A nossa mente, o nosso comportamento e a nossa forma de tomar decisões ainda são uma incógnita para os cientistas, mas acredite que é no campo da emoção que estão as suas respostas e possibilidades de uma vida feliz e bem-sucedida. E para acalmar o seu lado racional, é a ciência quem vem provando isso.

Texto por: Heriberto Guimarães / Revisado por: Flávia Braga